<$BlogRSDUrl$>

segunda-feira, janeiro 12

acerca do design de automóveis 

apesar de todas as óbvias (?) desvantagens do automóvel, como as frustrações de estar em filas monumentais, o desafio de circular em ruas estreitas ou o risco de vida de enfrentar as nossas estradas, para muitos, possivelmente para a maior parte, o automóvel é ainda o ambiente mais desejável, melhor desenhado, e mais compensador emocionalmente que alguma vez terão! qualquer um, homem ou mulher, novo ou velho, pobre ou rico, de qualquer nível cultural e social, pode usar o automóvel para explorar as vantagens de uma sociedade avançada tecnologicamente e para exorcisar as suas desvantagens_ equipado com todos os possíveis dispositivos para controlo da qualidade do ar, temperatura, iluminação interior e exterior, conforto ergonómico e, claro, velocidade, o interior de um automóvel é hoje a mais universal, e simultaneamente a mais extradionariamente pessoal, unidade habitacional mínima_ ele é capaz de exprimir qualquer mensagem que escolhamos em termos de representação simbólica_ os mais ricos de entre nós podem pretender desafiar as convenções conduzindo um qualquer dos inúmeros modelos utilitários disponíveis, em cada vez maior número de versões e estilos_ ou pode simplesmente escolher um automóvel em
segunda mão, se não quizer ir tão longe como uma motorizada! no caso contrário, um
membro da classe exibicionista estão preparados para fazer o sacrifício financeiro supremo para serem vistos a conduzir um automóvel desportivo de luxo_ os consumidores revelam todas as suas fraquezas e tiques, as suas aspirações frustradas ou realizadas e - sim, também - as suas necessidades, quando escolhem e utilizam os seus automóveis_ claramente uma consequêcia desta promiscuidade cultural, é a importância estratégica que a indústria automóvel assume para a sobrevivência das economias desenvolvidas_ não existe outro produto de consumo de massa que, quando as coisas estão bem, permita um tão elevado nível de lucro e no entanto permaneça tão aberto à inovação, levada até aos extremos mais improváveis_ enquanto poucos consumidores considerariam seriamente a utilização de uma charrete puxada por cavalos como meio de transporte para o dia-a-dia, em muitos outros sectores, como os móveis de casa, o tradicional e o antigo - falso ou verdadeiro - continua a predominar, ignorando todas as tentativas de modernização feitas por arquitectos e designers nos últimos 100 anos_ e no entanto, o jovem casal passa alegremente - não reparando na menor das contradições - de uma casa mobilada num estilo do passado, para um automóvel futurístico, completo com todos os mais avançados desenvolvimentos do design, 90 por cento dos quais gerados por computador_

traduzido e adptado livremente da revista "domus" n.865, dezembro de 2003

Comments: Enviar um comentário
This page is powered by Blogger. Isn't yours? Weblog Commenting by HaloScan.com